Rotulagem

Brandsense: saiba explorar
os 5 sentidos da sua marca

1. VISÃO – Qual é a aparência da sua marca?

É aqui que o “amor à primeira vista” acontece, ou não. Cores, formatos e outros fatores como a iluminação do ambiente são facilmente percebidos pelos olhos mais atentos ou mesmo inconscientemente. Por isso, é preciso causar uma boa primeira impressão.

O Itaú, por exemplo. Todos reconhecem de longe seu tom laranja. Apesar de ter um logotipo amarelo e azul, a cor alaranjada da comunicação foi incorporada em praticamente todo o visual, colorindo o interior e a fachada das agências. Sua intenção é transmitir energia e estímulo, deixando o padrão acinzentado e mais formal de bancos tradicionais para atrair novos públicos. Por isso, é muito importante escolher cuidadosamente o que será visto pelas pessoas.

2. PALADAR – Que sabor você deixará na boca de seus clientes?

Possuímos um receptor gustativo que detecta até 5 sabores: doce, amargo, azedo, salgado e umami, que os cientistas acreditam estar ligado à sensação de prazer na degustação.

Tomemos a Ideatore como exemplo: logo que alguém entra em nossa sala de reuniões, é recebido com balas e chocolates. A maioria das pessoas relaciona os doces a momentos agradáveis e sensações prazerosas e é essa experiência que queremos oferecer, justamente por se tratar de um ambiente onde a criatividade e o dinamismo predominam. Neste caso, nossa marca não está vinculada a um produto, mas a uma experiência simples que se torna um diferencial bem-vindo.

3. AUDIÇÃO – O que você quer que sua voz fale e como soe?

O primeiro som que ouvimos na vida é a batida do coração de nossa mãe. Os sons têm o poder de reviver memórias e experiências, por isso somos tão sensíveis à eles. Você sabia que existem supermercados que conseguem controlar o fluxo de pessoas utilizando apenas música ambiente?

Em horários de pico, varejistas colocam músicas com ritmos agitados para atuar no subconsciente e fazer com que as pessoas comprem mais rapidamente, liberando passagem para mais compradores. O inverso ocorre em horários de pouco movimento: músicas lentas influenciam o consumidor a vagar mais lentamente pelos corredores, criando um clima agradável para que ele compre mais.

4. OLFATO – Você quer ser associado a qual aroma?

O olfato é o sentido humano que está intimamente ligado ao sistema límbico, que é responsável pelas emoções e memória, além de perceber e associar as coisas. Alguns aromas têm o poder de criar ambientes mais agradáveis e confortáveis às pessoas.

Um ótimo exemplo é a empresa americana Starbucks, que parou de servir ovos no café da manhã, pois o cheiro do mesmo interferia no aroma do seu famoso café fresco moído na hora, causando uma queda nas vendas. Percebe como o olfato pode ser decisivo para a experiência do cliente?

5. TATO – Como criar uma boa sensação?

A pele possui milhares de células receptoras em sua superfície. Por isso, o tato é um sentido muito trabalhado no Design de Produto. Apenas o toque do material da embalagem pode trazer informações sobre o conteúdo do mesmo, até inconscientemente. E quem não gosta de sentir um produto com as mãos?

Conclusão

Estamos sempre em busca de experiências marcantes que nos façam voltar ou disseminar algo para outras pessoas. É justamente o conjunto dos sentidos que nos farão voltar ou optar por um produto ou outro. Comprar deve ser apenas uma consequência diante das experiências que as marcas precisam proporcionar no ponto de vendas.

É preciso ter um público, personalidade e propósito bem definidos para promover experiências sensoriais realmente eficazes.

Falar Agora!
Atendimento WhatsApp
Powered by